NATUREZA DO MILÊNIO

Para termos uma pequena compreensão da relação dos santos do Antigo Testamento e dos santos do Novo Testamento com o Milênio, é preciso considerar a revelação contida nas Escrituras, com respeito à natureza do Milênio:


O Milênio é a administração direta do governo divino sobre a terra, durante mil anos, por nosso Senhor Jesus Cristo e Seus santos ressurretos, sendo Jerusalém o centro do reino. (Hb 2.5-18; Ap 1.6; 20.6;).



I. Objetivos do reino de mil anos:

1, Do ponto de vista do Pai:

a) Deus Pai honrará Seu Filho em contraposição aos homens que O desonraram nesta terra (Sl 2; Mt 17.5; Jo 12.28).

b) Deus Pai cumprirá as promessas feitas com respeito a Seu Filho e das profecias relativas a Ele, para “dar a Ele o trono de Davi seu Pai” Lc 1.32-33; II Sm 7.11-17.

c) Fará o julgamento final do homem pecador sobre a terra antes dela ser restaurada. Mt 25.31-46; Hb 9.27.

d) Será a resposta de Deus Pai aos seus santos: “Venha o teu reino, faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu” Mt 6.10.


2. Do Ponto de vista do Filho:


a) Ele recebe o reino deste mundo que com paciência esperou à direita do Pai (Sl 110.1-2; Hb 1.8; Ap 11.15-17; 12.5).

b) Ele compartilhará todas as Suas honras com seus santos! (Jo 14.2-3; 17.24; Mt 25.21, 23).

c) Enfim Ele dará aos humildes da terra o lugar e herança que sempre lhes prometeu! ( Sl 24.1-2; Mt 5.3-4; Ap 21.1-6).


3. Do ponto de vista das nações, dos povos da terra:

a) O Rei dos reis reinará mil anos com cetro de ferro. “Tu os esmigalharás com uma vara de ferro (Gn 49.10; Sl 2; 45.6; 110.1-2; Ap 11.15-17; 19.14-16).

b) Haverá paz completa entre as nações, porém forçada (Is 48.18, Jo 14.27; Hb 7.2)

c) Todas as nações serão obrigadas a adorar o Senhor dos Exércitos como Rei (Zc 14.9-21; Ap 19.11-16).



4. Do ponto de vista da criação:


a) Toda criação será redimida do cativeiro de Satanás. “a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus” (Is 2; 11; 60; 61;62; 63;65;66; Mt 19.28-30; Rm 8.21-23; Ap 19:19-20; 20.10;21.22).

b) A revelação dos filhos de Deus dar-se-á na volta de Jesus (Mt 25.31-46; Rm 8.18-21; Hb 2.6-18).


5. Do ponto de vista das nações justas:


a) A terra será renovada e as condições físicas e biológicas serão transformadas, a natureza será redimida revelando o amor de Deus, o conforto, a alegria para com as nações justas e toda a criação (Is 11:6-10; Lc 19.11-27; Rm 8.19-22).




II. Pessoas no Milênio


1. No milênio haverá pelo menos quatro níveis de santos ressuscitados e glorificados, que reinarão com Cristo:


a) Os santos, (aqueles que se santificaram) coroados e com seus corpos glorificados, pertencentes à Igreja, desde o dia de Pentecostes até o Arrebatamento. (I Cor 9.25-27; II Tm 4.7-8; I Pe 5.4; Tg 1.12; Ap 2.10. Ap 20.6; 22.12).

b) Os mártires, aqueles que, a iniciar-se por Tiago, passando por onze dos doze apóstolos e todas as pessoas que foram martirizadas através dos séculos por amor do Senhor e do Evangelho.

c) Os mártires da Tribulação, aqueles que creram em Jesus e foram martirizados durante a grande tribulação por não receberem o sinal (666) da Besta ( Ap 7.9-17; 20.4-6).


d) Os santos da Tribulação: todos aqueles que foram deixados para trás, mas que posteriormente creram em Jesus e foram justificados (75% deles morrerão antes da segunda vinda, de fome, de sede, pelo calor, etc).


2. Haverá ainda:

a) os que tinham mais de quatorze anos e um dia e menos de vinte e um anos (que não serão obrigados, de per si, a aceitar o número da besta) no dia do arrebatamento - e que sobreviverem aos sete anos, farão parte das nações justas e entrarão no milênio

b) Os naturais (das nações) - todos aqueles que foram gerados após o arrebatamento e que nasceram já na Grande Tribulação e sobreviveram aos sete anos e que participarão de todas bênçãos da criação regenerada durante o milênio

 c) Os Israelitas que tem na sua testa o nome do Pai e do Filho, ou seja, os Israelitas que se converteram a Jesus reconhecendo-O como o Messias, pela pregação das Duas Testemunhas e dos 144.000.

d) O Israel terreno elevado a um estado de benção incomparável, ou seja, o remanescente de Israel que não morreram durante a tribulação e reconheceram Cristo Jesus como o Messias na sua vinda para reinar ( Is 35.7, 10; 67.4-6; Zc 12. 9-14; 13.6; Rm 9.27).



3. Quanto à expectativa de vida destes (itens a e b supra):

a) Os que tinham menos de vinte e um anos, os filhos que nascerem durante a tribulação e os filhos que nascerem durante o Reino, terão a mesma longevidade que foi dada por Deus no princípio da criação. antes do dilúvio. (Gn 5; 6.3; Is 11.6-8; 65.17-25), da seguinte forma:

a.1 Se pecarem: Mínimo de cem anos, máximo de mais ou menos 969 anos);
a.2 Se não pecarem: Mil anos

b) Os demais, evidentemente já não estarão sujeitos à morte;



“O Milênio será o tempo do cumprimento das bênçãos das alianças nacionais de Israel, quando Deus usará da autoridade absoluta do governo divino por meio do reinado do Messias, quando os homens (das nações justas) estarão sujeitos e serão testados pela autoridade do Rei”.


Créditos

 

 

Fale Conosco. Mande suas dúvidas, perguntas,sugestões, etc.

FALE CONOSCO

Última Atualização - 30/03/2016

 

 

Anterior

        

Próxima